Uma revolução nos cuidados com pacientes acamados

Em todo o país, cirurgiões-dentistas estudam meticulosamente novos meios de levar assistência odontológica àqueles vivem em meio a condições adversas. Um dos maiores desafios são os acamados ou com dificuldades de locomoção, impossibilitados de ir ao consultório para receber o atendimento necessário.

Nestes casos, é comum que a saúde oral fique em segundo plano, em meio a tantos outros cuidados e tratamentos essenciais para o bem-estar do paciente. Porém, por consequência, ele se torna mais vulnerável a infecções bucais, que podem agravar seu quadro geral. A pneumonia aspirativa é uma das complicações mais frequentes em circunstâncias similares.

Com base neste contexto, alunos e professores da Universidade do Extremo-Sul Catarinense, localizada em Criciúma (SC), adquiriram um equipamento móvel utilizado, a cada semana, para atender diferentes pessoas em casas, asilos e escolas.

O projeto de pesquisa é orientado pelos docentes Diego Anselmi Pires e Luiz Gustavo Teixeira Martins e integra o Programa Diversidades, Inclusão e Direitos Humanos. Para agendar uma consulta, o paciente deve contatar a Unidade de Saúde mais próxima.

“Queremos fazer um Serviço Único de Saúde (SUS) de verdade acontecer dentro da Odontologia. Esta é uma ideia pioneira na região. Serve, também, para inserir o estudante na prática do SUS, que prega a equidade como princípio”, afirma Pires.